Super Banner

Tags por ‘5ª geração’


Você sabe qual a geração correta do kit para GNV no motor de seu veículo?

Muitas são as discussões referentes à instalação do kit adequado para o uso do GNV. Os consumidores devem ser esclarecidos quanto à aplicação dos componentes corretos para não prejudicar o funcionamento dos veículos. As oficinas convertedoras devem explicar e orientar os clientes, destacando a importância e a necessidade do motor receber os componentes eletrônicos que servirão para manter o seu bom funcionamento, sem afetar o seu desempenho.

Isto pode ser um pouco difícil para um leigo entender, mas devem ser mostradas as diferenças entre um veículo com carburador e outro com injeção eletrônica, por exemplo. O kit para o veículo carburado não serve para o veículo injetado e vice-versa.

- Se esta prática ocorresse em todas as instalações para GNV, ou seja, utilizar o kit adequado ao veículo, não estaríamos vivendo as diferenças absurdas nos preços dos kits, criando um mercado paralelo, deixando a ilusão aos consumidores que estão instalando kits mais baratos, sem perceberem que estão, à médio prazo, desgastando todos os componentes originais, afetando desta forma a vida útil do veículo, afirmam os fabricantes de kits.

- Quando se instala um kit para um veículo com carburador, ele deverá ser de primeira geração, ou seja, o controle da mistura de combustível é realizada através de registros mecânicos, no entanto quanto se instala um kit para um veículo com injeção eletrônica, o controle da mistura de combustível é realizado eletronicamente, sendo assim ele deve ser de segunda geração em diante, conforme o sistema original instalado. Caso esta prática não seja adotada, teremos um veículo equipado com injeção eletrônica original de fábrica funcionando como veículo carburado, esclarecem os fabricantes de kits.

Veja aqui a geração de kits existentes no mercado e a sua correta aplicação, para adequação ao sistema original instalado no veículo.

1° Geração do sistema de GNV

•Utilizada em veículos carburados
•O ajuste da mistura (ar/gás) é feita através de registros mecânicos, um para a marcha lenta e outro para passagem de alta
•Sistema aspirado com misturador

2° Geração do sistema de GNV

•Utilizada em veículos com sistema de injeção eletrônica de combustível
•O controle da mistura (ar/gás) é feita eletronicamente através do módulo de controle e executado por um atuador elétro- mecânico
•Sistema aspirado com misturador

3° Geração do sistema de GNV

•Utilizada em veículos com sistema de injeção eletrônica de combustível
•O controle da mistura (ar/gás) é feita eletronicamente através do módulo de controle e executado por dois atuadores elétro- mecânicos
•Sistema aspirado com misturador

4° Geração do sistema de GNV

•Utilizada em veículos com sistema de injeção eletrônica de combustível
•O controle da mistura (ar/gás) é feita eletronicamente através do módulo de controle e executado por dois atuadores elétro- mecânicos
•Injeção de fluxo contínuo

5° Geração do sistema de GNV

•Utilizada em veículos com sistema de injeção eletrônica de combustível
•O controle da mistura (ar/gás) é feita eletronicamente através do módulo de controle e executado por válvulas injetoras
•Injeção seqüencial

Veja a seguir alguns componentes eletrônicos:

Simulador de Bico Injetor

Este dispositivo foi integrado ao kit com a função específica de enviar ao módulo original do carro um sinal simulado do funcionamento dos bicos injetores. Não é necessário a todos os veículos.

Variador de Avanço

Dispositivo opcional que antecipa a faísca das velas dando mais tempo para queimar o GNV, propiciando uma queima mais completa e um aumento no torque do motor, melhorando o desempenho do veiculo.

Conjunto do Atuador: Motor de passo exclusivo para o GNV

Exclusivo para os kits eletrônicos. Instalado entre o Redutor e o Misturador e controlado pelo M.E.C.G., executa automaticamente as correções necessárias na mistura (ar/gás).

Módulo Eletrônico para Controle de Gás - MECG: Centralina Exclusiva para GNV

Também exclusivo para os kits eletrônicos, tem como função corrigir a mistura ar/gás. Para tanto, processa as informações geradas pelo sensor de borboleta (TPS) e pelo sensor de oxigênio. Controlando o atuador, realiza o enriquecimento ou empobrecimento da mistura em busca da mistura estequiométrica.
O M.E.C.G. gera ainda sinal simulado para o computador original do veículo para que este se mantenha nos parâmetros originais de trabalho enquanto o veículo é operado no gás, propiciando menor consumo, maior performance e menor emissão de poluentes, atingindo os parâmetros ideais de queima para o GNV.
Kit Ouro: MECG modelo 16.000
Kit Plus: MECG modelo 16.500
Kit Injeção Direta: MECG modelo 17.000

Este informe técnico foi enviado pela Rodagás do Brasil.

Kit GNV no Citroen Picasso

Adquiri um Citröen Xsara Picasso 1.6 16V Flex 2008 (zero km) e pretendo instalar o kit GNV por causa da economia (já tive 3 carros com GNV). Ao consultar alguns profissionais do ramo, me surpreendi com algumas respostas negativas a respeito da instalação do kit neste carro. A Citröen também me informou sobre a perda total da garantia (que é de 2 anos). Acontece que ele está fazendo 5,0km/litro de álcool (média cidade/estrada). O que vocês me aconselham? Há algum kit ou instalação específica para este carro?

Jessé Andrade

Resposta

Para o Citröen Xsara Picasso 1.6 16V Flex 2008 recomendamos instalar o Kit GNV de 5a. Geração pois, o mesmo possui os componentes adequados ao motor do seu veículo. Você poderá obter o detalhamento dos componentes que compõem este kit acessando nosso site www.globogasbrasil.com.br/tabelas.asp
Quanto à informação sobre a perda da garantia de fábrica, informamos que ao realizar qualquer modificação nas características do veículo, a garantia de fábrica realmente é perdida, pois os fabricantes de veículos não se responsabilizam por nada além das características já vindas de fábrica. Informamos ainda que os problemas que muitas vezes ocorrem são oriundos de uma instalação com Kits GNV inadequados ao motor do veículo que terminam por se tornar “baratos” aos olhos do consumidor, comprometendo o  funcionamento do veículo.

Por Equipe Técnica Globo Gás Brasil

Kit GNV instalado

Pelo que li no fabuloso site de vocês, cheguei à conclusão de que a compra de carro com GNV, instalado corretamente, é questão de sorte. Como pretendo comprar com o Kit já instalado, sem correr o risco de adquirir uma dor-de-cabeça, gostaria que os amigos me dessem uma dica, passo-a-passo, pode ser? Muitíssimo obrigado pela ajuda!

Eduardo Corrêa

Resposta

Infelizmente achamos que não ficou claro para o senhor o que tentamos explicar sobre os kits GNV para veículos. Ressaltamos que não se trata de sorte adquirir um veículo com GNV instalado corretamente, e sim que tratase do consumidor ter consciência que nem sempre o custo-benefício é a coisa mais importante quando o assunto é a sua segurança. Infelizmente algumas pessoas tentam baratear o kit, adquirindo equipamentos que não são os compatíveis com o motor de seu veículo e acabam por prejudicar seu funcionamento. O GNV não causa danos aos veículos. O que pode causar danos é um kit GNV inadequado ao tipo de veículo e/ou uma instalação incorreta. Sempre antes de realizar uma instalação de um kit é necessário que se faça uma revisão no veículo, para que se possa fazer a troca dos componentes desgastados, e assim, não haja comprometimento do kit e do funcionamento do veículo após a instalação do mesmo. Além disso, não é recomendado, em hipótese alguma, colocar peças avulsas de fabricantes diferentes na montagem do kit gás pois, o mesmo pode ter o seu funcionamento comprometido uma vez que cada fabricante possui peças fabricadas para serem utilizadas em  seus próprios kits não dando garantias quando utilizadas em kits de terceiros.

Recomendamos instalar no Renault Clio 1.0 16v, um kit de 4ª ou 5ª Geração com CAGN, pois estes kits possuem recursos incorporados ao sistema eletrônico respeitando os parâmetros do motor de seu veículo. Tendo em vista que o gerenciamento eletrônico original requer determinados componentes que não afetem o mesmo.

O kit de 4ª Geração deve possuir os seguintes componentes: *Parte mecânica: Redutor de pressão positiva, válvula de abastecimento, válvula de cilindro, sistema de ventilação, cilindro, suporte de cilindro, tubo de aço p/ alta pressão, mangueiras água/gás, distribuidor de gás;* Eletro/ Eletrônicos:  chave comutadora, variador de avanço, simulador de bicos injetores, gerenciador de 4ª geração, 2 motores de passo para controle do fluxo de gás ou conjunto de solenóides com vazões diferentes.

No kit de 5ª Geração verifique se possui: *Parte mecânica: Redutor de pressão positiva, válvula de abastecimento, válvula de cilindro, sistema de ventilação, cilindro, suporte de cilindro, tubo de aço para alta pressão, mangueiras água/gás, Galeria de injetores de gás;* Eletro/Eletrônicos:  chave comutadora, variador de avanço, simulador de bicos injetores, gerenciador de 5ª geração.

Esperamos que tenhamos contribuído  para esclarecer suas dúvidas.

Por Equipe Técnica Globo Gás Brasil

Squad Banner Pequeno 1

Squad Banner Pequeno 2